PLANTAS MEDICINAIS

As plantas consideradas medicinais, contém substâncias bio-ativas com propriedade terapêuticas, profilática e paliativa, conhecidas desde os tempos remotos. Essas plantas são utilizadas pela medicina atual, chamada fitoterápia e suas propriedades são estudadas nos laboratórios farmacêuticos, a fim de isolar as substâncias que lhe conferem propriedades curativas. Muitas destas plantas são venenosas ou tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Toda a planta, mesmo alimentícia, pode ser potencialmente tóxica dependendo da dosagem.

PASSE O CURSOR SOBRE A FOTO PARA LER (NÃO CLIQUE)

TEMÁTICA

As plantas medicinais são utilizadas pela medicina atual (fitoterapia). Entretanto, a planta “in natura” ou pré porcessada utilizada pela população sem recomendação médica é uma prática denominada “Medicina Popular” e obviamente tem seus riscos, como a dificuldade em se estabelecer dose, posologia e, em alguns casos, a verdadeira identidade de algumas espécies.

Desta forma, este espaço apresenta o uso das plantas medicinais como alternativa terapêutica e para tanto, deve ser acompanhada por um profissional da saúde.



LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico, apenas informativa. Consulte sempre um profissional da saúde para qualquer tipo de informação.

2 de mar de 2011

CELIDÔNIA - Chelidonium maius - Propriedades Medicinais - 106


FAMILIA
Papaveraceae
NOME CIENTÍFICO
Chelidonium maius
NOME POPULAR
PARTE USADA
Toda a planta
PRINCÍPIO ATIVO
Quelidonina, queleritrina, sanguinarina, protopina, mucilagem, resina e óleo essencial,
PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS
Sedativa e balsâmica.
INDICAÇÕES
Elimina verrugas da pele e calos, ajuda também o tratamento de úlceras escrofulosas ou escorbúticas e de feridas velhas. Apresenta ainda ação sedativa local.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
Planta da família das papavereceae, tambêm conhecida como erva Fandorinha e erva das verrugas. Herbácea vivaz, que pode atingir até 80 cm de altura, com rizoma subterrâneo, de onde saem as hastes, que são ramificadas e providas de pêlos brancos e articulados. As folhas são alternas, de cor verde na superfície superior e verde mais claro, na infeiror. As flores são de coloraçào amarelo-dourado, são dispostas em pequenos buquês. O fruto é capsular e a semte esverdeadas, provida de um falso arilo, que ajuda na sua dispersão. O seu cultivo pode ser feito por sementes ou por pedaços de rizomas. Colhe-se a planta inteira antes de florecer ou no começo da floração. A planta tem um bom desenvolvimento em lugares frescos ou sombreados, geralmente sobre escomblos e muros velhos. Quando fresca essa planta produz um látex amarelo, de sabor acre e picante, extraído do corte do caule ou do pecíolo da folha
ORIGEM
Europa e Ásia, tendo se aclimatado muiot bem na região su do Brasil.
MODO DE USAR
Cataplasma:
Amassar uma porção de 10 gramas de folhas frescas e aplicar sobre o calo, enfaixando o local.
Ativador das funções hepáticas e biliares; eliminador de cálculo biliar : 
Amasse 1 folha fresca em 1 xícara de chá de água potável. Deixe em amceração por uma noite. No dia seguinte, coe. Tome 1 xícara de chá de manhã, em jejum.
Afecções da vesícula biliar; estimulante da vesícula biliar : 
Coloque 5 colheres de sopa da planta toda seca e picada em 1 garrafa de vinho branco e acrescente algumas sementes de anis. Deixe em amceração por uma semana. Coe em um pano e esprema. Tome 1 cáice, 30 minutos antes das pricniapis refeições.
Colesterol, normalizador e regularizador da taxa: 
Coloque 3 colheres de sopa da planta toda, seca ou fresca, em 1 xícara de chá de alcool de cereais a 70% e amasse bem. Deixe em amceração por uma semana. Coe em um pano e espream. Tome 1 colher de café, diluído em um pouco de água, 30 minutos antes das pricipais refeições.
PRECAUÇÕES
Devidos as possíveis toxidades, aconselha-se acompanhamento por profissional habilitado.
As folhas quando mascadas frescas tem sabor acre e picante podendo causar náuseas. O contato com  os olhos poderá causar irritações
EFEITOS COLATERAIS
A literatura ciêntífica antiga relata queimação da boca, náusea, vômitos, diarréia sanguinolenta, hematuria e torpor como efeitos colaterais derivados da toxidade da planta.
Formatação e pesquisda: HRubiales
Fonte:
Plantasquecuram.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário