PLANTAS MEDICINAIS

As plantas consideradas medicinais, contém substâncias bio-ativas com propriedade terapêuticas, profilática e paliativa, conhecidas desde os tempos remotos. Essas plantas são utilizadas pela medicina atual, chamada fitoterápia e suas propriedades são estudadas nos laboratórios farmacêuticos, a fim de isolar as substâncias que lhe conferem propriedades curativas. Muitas destas plantas são venenosas ou tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Toda a planta, mesmo alimentícia, pode ser potencialmente tóxica dependendo da dosagem.

PASSE O CURSOR SOBRE A FOTO PARA LER (NÃO CLIQUE)

TEMÁTICA

As plantas medicinais são utilizadas pela medicina atual (fitoterapia). Entretanto, a planta “in natura” ou pré porcessada utilizada pela população sem recomendação médica é uma prática denominada “Medicina Popular” e obviamente tem seus riscos, como a dificuldade em se estabelecer dose, posologia e, em alguns casos, a verdadeira identidade de algumas espécies.

Desta forma, este espaço apresenta o uso das plantas medicinais como alternativa terapêutica e para tanto, deve ser acompanhada por um profissional da saúde.



LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico, apenas informativa. Consulte sempre um profissional da saúde para qualquer tipo de informação.

19 de fev de 2011

LOURO - Laurus nobilis - Propriedades Medicinais - 89





 

FAMILIA
Lauráceas
NOME CIENTÍFICO
Laurus nobilis
NOME POPULAR
Loureiro, loureiro-de-presunto, loureiro-de-apoio, loureiro-dos-poetas. Portugal: Loureiro-comum, loureiro-de-apoio e sempre-verde. Espanha: Laurel, laurel común e laurel de condimento. França: Laurie. Inglaterra: Laurel.
PARTE USADA
Bagas, frutos e folhas
PRINCÍPIO ATIVO
Princípios amargos, taninos e óleo essencial.
PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS
Eupéptica (digestiva), antiinflamatória, anti-reumática, carminativa, diurética e balsâmica.
INDICAÇÕES
Bálsamo anti-reumático, aperitivo (auxilia a digestão), alivia as dores reumáticas e artríticas. O óleo extraído combate dermatoses e lêndeas. Estimula a secreção do suco digestivo. Cólicas menstruais.
COMPOSIÇÃO
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
O louro é um arbusto perene, com as folhas duras, lustrosas e com a coloração verde-escuras na parte superior. Apresenta flores bem miúdas, de coloração branca ou amarelo-esverdeada. As folhas podem ser coletadas em qualquer época do ano e tem um aroma intenso e penetrante. A árvore do louro pode chegar até 1 século de existência. Do fruto se obtem o óleo.
As árvores podem alcançar até 8 metros de altura
ORIGEM
Ásia Menor e países mediterrâneos. No Brasil, são comuns nas matas pluviais dos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Espírito Santo
MODO DE USAR
Uso In terno
Decocção:
20 g. de casca de louro em 1 litro de água e ferver. Tomar 1 copo após as refeições.
Infusão:
Em 1 litro de água quente colocar 15 g. de folhas de louro, deixando descansar por 10 minutos. Filtrar e beber  lentamente. Indicado para má digestão
Uso externo
Aplicações de óleo de louro ou pomada de folhas secas pulverizadas sobre as articulações dolorosas nos casos de reumatismo crônico
Condimento
As folhas são usadas como temperos
CURIOSIDADES
O louro era consagrado ao deus Apolo, patrono dos triunfos, das belas artes,  da medicina e arquétipo da beleza masculina. Os imperadores romanos, os atletas e os guerreiros cencedores eram coroados com uma “coroa” de louros, que se supunha protegê-los dos raios e de outras forças malignas.
 Formatação e pesquisa: HRubiales
pt.wikipedia.org
naturezacelestial.wordpress.com
cantoverde.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário