PLANTAS MEDICINAIS

As plantas consideradas medicinais, contém substâncias bio-ativas com propriedade terapêuticas, profilática e paliativa, conhecidas desde os tempos remotos. Essas plantas são utilizadas pela medicina atual, chamada fitoterápia e suas propriedades são estudadas nos laboratórios farmacêuticos, a fim de isolar as substâncias que lhe conferem propriedades curativas. Muitas destas plantas são venenosas ou tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Toda a planta, mesmo alimentícia, pode ser potencialmente tóxica dependendo da dosagem.

PASSE O CURSOR SOBRE A FOTO PARA LER (NÃO CLIQUE)

TEMÁTICA

As plantas medicinais são utilizadas pela medicina atual (fitoterapia). Entretanto, a planta “in natura” ou pré porcessada utilizada pela população sem recomendação médica é uma prática denominada “Medicina Popular” e obviamente tem seus riscos, como a dificuldade em se estabelecer dose, posologia e, em alguns casos, a verdadeira identidade de algumas espécies.

Desta forma, este espaço apresenta o uso das plantas medicinais como alternativa terapêutica e para tanto, deve ser acompanhada por um profissional da saúde.



LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico, apenas informativa. Consulte sempre um profissional da saúde para qualquer tipo de informação.

16 de fev de 2011

MARAPUAMA - Ptychopetalum olacoídes Benth - Propriedades Medicinais - 81






FAMILIA
Oleaceae
NOME CIENTÍFICO
Ptychopetalum olacoídes Benth
NOME POPULAR
Muirapuama, marapuã, miriapuama, muirapama e pau-homem.
PARTE USADA
Raiz
PRINCÍPIO ATIVO
Alcalóides, ácidos orgânicos e taninos.
PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS
Anti-reumática, antistress, ataxia locomotora, estimulante sexual, alopecia, tônico, antidepressívo. Emprega-se como estimulante sexual para ambos os sexos. Causa excitação sobre o sistema nervoso central, justificando a sua indicação em casos de depressão, esgotamento e outras doenças de nível neurológico. Paralisia facial, astenia circulatória.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
Arbusto atinge até 2 metros de altura, de haste ereta e coroada por pequenos e raros galhos, flores em rácemos e frutos drupáceos. As raízes e as hastes são de coloração parda-avermelhada, suas folhas são pequenas e verdes pela parte superior, e cinza azuladas pela parte inferior, pendentes em ramos longos e finos.

ORIGEM
Floresta Amazonica
MODO DE USAR
USO INTERNO
-Decocção
20 g da raiz para 1 litro de água. Ferver durante 10 minutos.
Tomar 4 copos ao dia
-Garrafada (Afrodisíaco)
Colocar em 1 litro de vinho moscatel, 10 g de marapuama e 10 g de catuaba,deixar em repouso por pelo menos uma semana e tomar um cálice às refeições.
USO EXTERNO
Reumatismo
20 g de marapuama com 20 g de gengibre. Colocar em infusão em um litro de álcool, deixando em repouso por uma semana. Massagear a parte afetada 2 a 3 vezes ao dia.
CONTRAINDICAÇÕES
Quando misturada com Catuaba é contraindicado na gravidez, recém nascidos, crianças pequenas e portadores de glaucoma
 Formatação: HRubiales
Fontes:
pt.wikipedia.org
Naturezacelestial.wordpress.com
Cantoverde.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário