PLANTAS MEDICINAIS

As plantas consideradas medicinais, contém substâncias bio-ativas com propriedade terapêuticas, profilática e paliativa, conhecidas desde os tempos remotos. Essas plantas são utilizadas pela medicina atual, chamada fitoterápia e suas propriedades são estudadas nos laboratórios farmacêuticos, a fim de isolar as substâncias que lhe conferem propriedades curativas. Muitas destas plantas são venenosas ou tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Toda a planta, mesmo alimentícia, pode ser potencialmente tóxica dependendo da dosagem.

PASSE O CURSOR SOBRE A FOTO PARA LER (NÃO CLIQUE)

TEMÁTICA

As plantas medicinais são utilizadas pela medicina atual (fitoterapia). Entretanto, a planta “in natura” ou pré porcessada utilizada pela população sem recomendação médica é uma prática denominada “Medicina Popular” e obviamente tem seus riscos, como a dificuldade em se estabelecer dose, posologia e, em alguns casos, a verdadeira identidade de algumas espécies.

Desta forma, este espaço apresenta o uso das plantas medicinais como alternativa terapêutica e para tanto, deve ser acompanhada por um profissional da saúde.



LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico, apenas informativa. Consulte sempre um profissional da saúde para qualquer tipo de informação.

1 de nov de 2013

MANJERICÃO - Ocimum basilicum L.- Propriedades medicinais- 113





Fotos obtidas da planta de uma simples jardineira


Flor

NOME CIENTÍFICO
Ocimum basilicum L.
FAMÍLIA
Lamiaceae (Labiatae)
NOMES POPULARES
Alfavaca (conhecido na região Norte), alfavaca doce; manjericão doce, remédio de vaqueiro; erva- real; manjericão da folha grande, etc.
PARTE USADA
Folhas, sementes e raízes Utilizar a planta fresca de preferência, pois há perda de seus princípios ativos ao secar e ferver.
PRINCÍPIO ATIVO
 Óleos essenciais (eugenol, estragol, linalol, lineol, alcanfor, cineol, pineno e timol), taninos, saponinas, flavonóides, ácido cafeíco e esculosídeo
PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS
Usada nos estados gripais, bronquites, é estimulante digestiva, carminativa, antiespasmódica, antifebril, sudorífico, diurético, aumenta a secreção do leite, antitussígeno, mau-hálito.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
 Planta herbácea anual, de polinização cruzada, resultando em grande número de subespécies, variedades e formas. Muito ramificada, aromática e perfumada; atinge 0,5 a 1m de altura. Possui haste reta com muitas folhas carnosas, ovaladas, sem pêlos e de cor verdebrilhante. Na face inferior das folhas existem minúsculas covas, onde se formam gotículas de essências. Suas flores são brancas ou avermelhadas, formando espigas e seus frutos são aquênios (fruto minuto, seco e indeiscente). Cultivo Adapta-se bem em climas subtropical e temperado quente e úmido. Vegeta em solos ricos em matéria orgânica e permeáveis. Propagada por sementes e enraizamento de estacas. No plantio por sementes ralear 2 a 3 semanas após a germinação. O transplante deve ser feito quando a plântula estiver com 3 cm. Recomenda-se plantar no espaçamento de 0,25 x 0,50m, com adubação de 5 kg de esterco de curral por m2. A colheita é feita quando a planta entrar em floração para não perder seu aroma, colhendo-se as folhas, de preferência, pela manhã até 11:00 horas. A produção é de 0,5 kg/ m2. Pode ser armazenado fresco em sacos plásticos por uma semana.

Flor
ORIGEM
Provavelmente chegou à Europa, vinda da Índia, passando pelo Oriente Médio. É subespontâneo em todo o Brasil.
 MODO DE USAR
Banho, xarope, infusão, cataplasma, decocção (raízes).

 *Modo de usar Feridas – Cataplasma
Aplicar cataplasma de folhas frescas sobre a parte afetada, cobrindo-o com gaze.
*Tuberculose pulmonar -
Xarope Lavar bem as raízes de uma planta de Manjericão, cozinhar por 20 minutos, coar, acrescentar açúcar ao chá e deixar ferver até formar consistência. Tomar 1 colher 4 vezes ao dia.
 *Gripe e resfriado – Banho Fazer cozimento de folhas frescas de manjericão com folhas de mucura-caá, folhas de laranjeira e de limoeiro. Deixar amornar e tomar banho pela manhã, por 1 semana.
*Afecções da boca e garganta- Decocção Em ½ litro de água, acrescentar 50 g de folhas secas e 100g de folhas frescas de manjericão. Ferver por 10 minutos, deixar esfriar e fazer bochechos e gargarejos *Espasmos – Infusão 1 colher de folhas de manjericão em uma xícara de água fervente. Abafar e tomar *Queda de cabelo - Infusão 1 xícara de folhas frescas em ½ litro de água fervente. Depois de 15 minutos espremer bem as folhas e banhar a cabeça com o líquido, fazendo fricções no couro cabeludo.
Fontes
portalsaofrancisco.com.br/alfa/manjericao/manjericao-2.php
www.cpafro.embrapa.br
Formatação e pesquisa Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário