PLANTAS MEDICINAIS

As plantas consideradas medicinais, contém substâncias bio-ativas com propriedade terapêuticas, profilática e paliativa, conhecidas desde os tempos remotos. Essas plantas são utilizadas pela medicina atual, chamada fitoterápia e suas propriedades são estudadas nos laboratórios farmacêuticos, a fim de isolar as substâncias que lhe conferem propriedades curativas. Muitas destas plantas são venenosas ou tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Toda a planta, mesmo alimentícia, pode ser potencialmente tóxica dependendo da dosagem.

PASSE O CURSOR SOBRE A FOTO PARA LER (NÃO CLIQUE)

TEMÁTICA

As plantas medicinais são utilizadas pela medicina atual (fitoterapia). Entretanto, a planta “in natura” ou pré porcessada utilizada pela população sem recomendação médica é uma prática denominada “Medicina Popular” e obviamente tem seus riscos, como a dificuldade em se estabelecer dose, posologia e, em alguns casos, a verdadeira identidade de algumas espécies.

Desta forma, este espaço apresenta o uso das plantas medicinais como alternativa terapêutica e para tanto, deve ser acompanhada por um profissional da saúde.



LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico, apenas informativa. Consulte sempre um profissional da saúde para qualquer tipo de informação.

1 de nov de 2013

ALMEIRÃO - Cichorium intybusL. - Propriedades medicinais - 114







NOME CIENTÍFICO
Cichorium intybusL.
FAMILIA
Asteraceae (Compositae) Espécie Cichorium intybusL.
NOME POPULAR
Chicória-amarga.
PARTE USADA
Folhas
PRINCÍPIO ATIVO
Informações Nutricionais 100 g contêm, em média:
Macrocomponentes Glicídios (g) 4
Proteínas (g) 1
Lipídios (g) 0
Fibras alimentares (g)
Vitamina A1 (mg) 263
Vitamina B1 (mg) 213
Vitamina B2 (mg) 120
Vitamina B3 (mg) 0
Vitamina C (mg) 11
Minerais Sódio (mg) 82
 Potássio (mg) 371
Cálcio (mg) 70
Fósforo (mg) 23
Ferro (mg) 1
Conteúdo energético (kcal) 25
PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS
Abre o apetite Estimula o funcionamento do fígado e da vesícula biliar. Provedor de vitaminas e sais minerais.
Flor

 DESCRIÇÃO BOTÂNICA
Planta herbácea, produtora de látex, de ciclo anual e que atinge ao redor de 50 centímetros de altura. Sistema radicular Sua raiz é longa, robusta, de formato cônico e sem muitas ramificações. Caule: Ereto, ramificado e anguloso. Folhas Suas folhas são verdes, de superfície lisa recoberta de pêlos, formato lanceolado, sésseis, bordo denteado e desenvolvem-se formando uma roseta próxima ao solo. Flores: São liguladas e estão agrupadas em inflorescência do tipo capítulo que surge na axila das folhas, apresentam cor azul. Fruto É do tipo aquênio.
ORIGEM
Europa Mediterrânea, mas se desenvolve bem em quase todos os países do mundo – pertence à família da alface, do dente-de-leão, da serralha e da chicória (em alguns sítios, é conhecido como “chicória amarga”).
CURIOSIDADES
O componente que dá sabor amargo ao almeirão é o que precisamente, estimula o apetite e o funcionamento do fígado e da vesícula.
MODO DE USAR
Saladas cruas (em pequenas quantidades, por ter sabor amargo – para diminuir esse sabor, devem ser cortados os talos e passados em água fria corrente) Refogado, como acompanhamento para feijões e outros pratos.
Fonte: www.hortifruti.com.br
 Fonte: www.iban.com.br
Fonte: www.posto7.com.br
 Fonte: www.hortifruti.com.br
Formatação: Helio Rubiales

Um comentário: