PLANTAS MEDICINAIS

As plantas consideradas medicinais, contém substâncias bio-ativas com propriedade terapêuticas, profilática e paliativa, conhecidas desde os tempos remotos. Essas plantas são utilizadas pela medicina atual, chamada fitoterápia e suas propriedades são estudadas nos laboratórios farmacêuticos, a fim de isolar as substâncias que lhe conferem propriedades curativas. Muitas destas plantas são venenosas ou tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Toda a planta, mesmo alimentícia, pode ser potencialmente tóxica dependendo da dosagem.

PASSE O CURSOR SOBRE A FOTO PARA LER (NÃO CLIQUE)

TEMÁTICA

As plantas medicinais são utilizadas pela medicina atual (fitoterapia). Entretanto, a planta “in natura” ou pré porcessada utilizada pela população sem recomendação médica é uma prática denominada “Medicina Popular” e obviamente tem seus riscos, como a dificuldade em se estabelecer dose, posologia e, em alguns casos, a verdadeira identidade de algumas espécies.

Desta forma, este espaço apresenta o uso das plantas medicinais como alternativa terapêutica e para tanto, deve ser acompanhada por um profissional da saúde.



LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico, apenas informativa. Consulte sempre um profissional da saúde para qualquer tipo de informação.

24 de jul de 2009

ABACAXI - Ananas comosus (L.)Merril - Propriedades Medicinais - 16

Flor (vista de lado)
Flor (vista por cima)
Frutos colhidos
Folhagem e fruto
Plantação
ABACAXI
FAMÍLIA: BromeliacezeXI
NOME CIENTÍFICO: Ananas comosus (L.) Merril
NOME POPULAR: ananás; abacaxizeiro
PARTE USADA: Fruto, casca, bagos, folhas
PRINCÍPIO ATIVO
Vitaminas (A, B, B1, B2 e C),Sais mineraiis, Magnésio, Enxofre, Potássio, Cálcio, Ferro, Iodo, Flúor, Fósforo, Carboidratos, Fibras (Celulose), Proteínas, Saponinas, Flavonóides, Glicosídeos, Sacarídeos e Taninos
PROPRIEDADES TERAPEUTICAS:
Afecções da pele (acnes, cravos e espinhas), chagas, esclerodermias, excesso de líquido no organismo, feridas, problemas digestivos, problemas respiratórios,psoríases e úlceras


DESCRIÇÃO BOTÂNICA
O pé de abacaxi é planta semiperene, que alcança um metro de altura. Primeiro produz um único fruto, situado no ápice; depois, com a ramificação lateral do talo, aparecem outros frutos, de modo que a fase produtiva pode prolongar-se por vários anos. Quando adulto, é constituído de raízes, talo (caule), folhas, frutos e mudas. O sistema radicular, do tipo fasciculado, é superficial, pois a maior parte das raízes fica nos primeiros 15 cm de solo. O talo apresenta o formato de uma clava, relativamente curta e grossa. As folhas têm forma de calha, co espinhos e estão inseridas no talo, formando uma densa espiral dextrogira e levogira.
A inflorescência é uma espiga, formada de flores completas, cada uma localizada na axila de uma bráctea. O fruto é composto, do tipo sorose, e resulta da coalescência de um grande número de frutos simples (100 a 200), do tipo baga, denominados frutilhos, os quais estão inseridos num eixo central, coração ou miolo, em disposição espiralada e intimamente soldados uns aos outros. No ápice do fruto existe um tufo de folhas – a coroa – resultante do tecido meristemático apical que a planta possui desde a sua origem. A conexão do fruto com o talo da planta é feita através de um pedúnculo.
A casca do abacaxi é formada pela reunião das brácteas e sépalas das flores. Logo abaixo da casca, inseridos na periferia de depressões em forma de taça, podem ser encontrados restos de pétalas e de estames, enquanto de cada uma dessas depressões aparece um vestígio de estilete. Na superfície de um fruto descascado de um modo pouco profundo, os restos de estiletes dão idéia de espinhos. Por outro lado, quando o descascamento é feito de modo mais profundo, a superfície mostra-se toda perfurada, por ficarem expostas as lojas dos ovários dos frutilhos. Dentro de tais lojas, em se tratando de fruto de variedade cultivada, geralmente são encontrados apenas óvulos abortados, pois a formação de sementes é rara, por serem as flores auto-estéreis. Todavia, através de polinização manual com pólen de outra variedade, não é rara a produção de duas mil a três mil sementes por fruto.
A parte comestível do abacaxi é a polpa, suculenta, formada pelas paredes das lojas dos frutilhos e pelo tecido parenquimatoso que os une, bem como pela porção externa ou casca do coração. De acordo com a parte da planta em que são produzidas, as mudas do abacaxizeiro são classificadas em quatro tipos:
1. coroa – muda do ápice do fruto;
2. filhote – muda do pedúnculo;
3. filhote-rebentão – muda da região de inserção do pedúnculo com o talo da planta;
4. rebentão – muda do talo da planta.
CURIOSIDADES
Consta que o abacaxi ou ananás foi descoberto, para o velho mundo, em 4 de novembro de 1493, quando Cristóvão Colombo descobriu a ilha de Guadalupe, onde encontrou e experimentou o fruto, que era amplamente disseminado na América Tropical, desempenhando parte importante na alimentação das populações indígenas. Acredita-se que no final do século XVII, a planta já era conhecida na maioria das áreas do globo.
ORIGEM: América Central e México.
COMPOSIÇÃO
Composição por 100g
Calorias.................................... 48kcal
Glicídios..................................... 12g
Proteínas................................... 1g
Lipídios....................................... Tr
Cálcio.......................................... 22mg
Fósforo...................................... 13mg
Ferro.......................................... 0,3mg
Sódio........................................ <0,4mg
Potássio.................................... 131mg
Fibras.......................................... 1g
75 calorias
INDICAÇÃO E MODO DE USAR

1.DIGESTÃO: Ação favorecedora da digestão. Pacientes com insuficiência gástrica (com baixa produção de suco gástrico ou hipocloridria) poderiam beneficiar-se com o uso de suco diluído do abacaxi sem açúcar. Pode-se tomar uns 80 ml deste suco fresco, diluído a 1/2 (metade de água), às colheradas, meia hora a dez minutos antes das refeições. É importante, porém, que este tratamento seja adequadamente aplicado. Não se recomenda abacaxi a pacientes com hipercloridria, úlcera gastroduodenal, pirose etc.
2.ANEMIA: A acidez do abacaxi favorece, na digestão, a absorção de ferro. O anêmico pode, no intervalo das refeições, usar um pouco de suco de abacaxi diluído em água e adoçado com melado de cana.
3.DOENÇAS RESPIRATÓRIAS: Doenças respiratórias produtivas (em que há produção de catarro): bronquites, gripes, pneumonias e outras patologias respiratórias acompanhadas de tosse e abundante secreção de muco podem ser tratadas com bromelina, que favorece a expectoração, pois desdobra as mucoproteínas do catarro. Há no mercado xaropes à base de bromelina.
4.BRONQUITE: Day informa que é um dos melhores remédios contra a bronquite. Cortar em fatias, pô-las numa panela, acrescentar mel, tampar bem e cozinhar. Depois de esfriar, retirar o suco e colocar em um vidro. Tampar bem. Tomar três a quatro colheres, das de sopa, ao dia.
5.AFECÇÕES DA GARGANTA: O abacaxi é também muito útil no tratamento das afecções da garganta, e mesmo na difteria. Come-se a fruta, ao natural, ou toma-se o suco, ou fazem-se gargarejos com o suco. É importante não misturar o abacaxi com outros alimentos na mesma refeição, e não se lhe deve adicionar açúcar.
6-OUTRAS INDICAÇÕES: O abacaxi tem, outrossim, virtudes medicinais como diurético e vermífugo; combate a prisão de ventre: é desobstruente do fígado; favorece a digestão; combate todas as inflamações do tubo digestivo e auxilia na cura das febres intestinais; é conveniente no tratamento dietético da arteriosclerose e anemia; é bom contra as enfermidades da bexiga, da próstata e da uretra; é muito útil em caso de cálculos renais e vesicais, e em caso de amenorréia; é bom remédio contra o reumatismo, como também contra o artritismo; emprega-se com bons resultados na hidropisia e na icterícia; é muito útil no combate à nefrite; é depurativo do sangue.
CARACTERÍSTICAS :Bromelina – a enzima digestiva do abacaxi:
O estudo da composição química do abacaxi levou à descoberta de uma potente enzima, a bromelina (assim chamada pelo fato de o abacaxi pertencer à família das bromeliáceas). Antigamente usava-se o suco de abacaxi para "amolecer" carnes, e até hoje este suco presta-se ao amolecimento de gelatinas. Esta propriedade deve-se exatamente à bromelina, enzima capaz de desdobrar proteínas em substâncias mais simples como proteoses e peptonas.
PRECAUÇÕES
Deve ser evitados na gravidez e portadores de ulceras gástricas

Fontes:
Wikipédia
Alfons Balbach Daniel S. F. Boarim (As Frutas na Medicina Natural)
www.frutas.radar-rs.com.br
portalsaofrancisco.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário