PLANTAS MEDICINAIS

As plantas consideradas medicinais, contém substâncias bio-ativas com propriedade terapêuticas, profilática e paliativa, conhecidas desde os tempos remotos. Essas plantas são utilizadas pela medicina atual, chamada fitoterápia e suas propriedades são estudadas nos laboratórios farmacêuticos, a fim de isolar as substâncias que lhe conferem propriedades curativas. Muitas destas plantas são venenosas ou tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Toda a planta, mesmo alimentícia, pode ser potencialmente tóxica dependendo da dosagem.

PASSE O CURSOR SOBRE A FOTO PARA LER (NÃO CLIQUE)

TEMÁTICA

As plantas medicinais são utilizadas pela medicina atual (fitoterapia). Entretanto, a planta “in natura” ou pré porcessada utilizada pela população sem recomendação médica é uma prática denominada “Medicina Popular” e obviamente tem seus riscos, como a dificuldade em se estabelecer dose, posologia e, em alguns casos, a verdadeira identidade de algumas espécies.

Desta forma, este espaço apresenta o uso das plantas medicinais como alternativa terapêutica e para tanto, deve ser acompanhada por um profissional da saúde.



LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico, apenas informativa. Consulte sempre um profissional da saúde para qualquer tipo de informação.

11/08/2009

CAJU - Anacardium occidentale L.-Propriedades Medicinais-24

Flor
Pseudo-fruto e fruto
Fruto
Fruto maduro
Cajueiro
CAJU
FAMÍLIA:Anarcadiáceas
NOME CIENTÍFICO:Anacardium occidentale L.
NOME POPULAR
Caju,acaju, acajaíba, oacaju, anacardo, acaju-açú, acajuba, acajuíba, cacaju, acaju-pakoba, acaju-piranga, caju-banana, caju-da-praia, caju-de-casa, cajueiro, caju-manso, caju-manteiga, casca-antidiabética, salsaparrilha-dos-pobres.
NOME POPULAR EM OUTROS PAISES
Alemão: acajou, kajubaum; Francês: acajou à pomme, anacardier; Inglês: cashew-nut tree Espanhol: caoba; Italiano: cagiù.
PARTE USADA
Folhas , casca , frutos(castanhas) e sementes
PRINCÍPIOS ATIVO
Esteróides, flavonóides, catequinas, fenóis, taninos, gomas, resinas, material corante, saponinas, taninos, vitamina C, açúcares, carotenóides, ácidos orgânicos, proteínas, fibras, ácido anacárdico, anacardol, cardol, taninos, flavonóides, ácido gálic
PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS
Antidiabética, adstringente, antidiarréica, depurativa, tônica, antiasmática, anti-séptica, antiinflamatória, vitaminizante, depurativa, expectorante, vermífuga, diurética, eupéptica
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS
Diabetes, feridas, infecção da garganta, diarréias, disenterias, baixar colesterol e triglicerídeos, suplemento nutritivo (regime de emagrecimento), frieiras, cansaço dos pés, eczemas, reumatismos, avitaminose C, feridas, úlceras, verrugas, calosidades
Amendoa torrada Morfologia da castanha Castanha
Ciclo do Caju
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
O cajueiro, nome científico Anacardium occidentale, da família Anacardiaceae, é uma árvore originária do norte e nordeste do Brasil, com troncos tortuosos e relativamente baixa. Na natureza existem dois tipos: o comum (ou gigante) e o anão. O tipo comum pode atingir entre 5 e 10 metros de altura, mas em condições muito propícias pode chegar a 20 metros. O tipo anão possui altura média de 4 metros.
Seu fruto , a castanha de caju, tem uma forma semelhante a um rim humano; a amêndoa contida no interior da castanha, quando seca e torrada, é popularmente conhecida como castanha-de-caju. Prologando-se ao fruto, existe um pedúnculo (seu pseudofruto) maior, macio, piriforme, também comestível, de cor alaranjada ou avermelhada; é geralmente confundido como fruto. Designado como maçã do caju, esta estrutura amadurece colorido em amarelo e/ou vermelho e varia entre o tamanho de uma ameixa e o de uma pêra (5-11 cm). Copa com ramos terminais piloso. Tronco tortuoso, com ritidoma cinza e fissurados com placas. Folhas simples, coriáceas, concolores, glabras, alternas, espiraladas ovadas e obavadas, com ápices arredondados e bases agudas; as margens são inteiras e nervação broquidódroma. Nervuvas salientes salientes na parte abaxial e domáceas nas axilas das nervuras secundárias. pecíoladas ou sésseis, sem estípula. Flores de cinco pétalas livres, de cor rosa.
ORIGEM: América do Sul
PRINCIPIOS ATIVOS DOS COMPONENTES
*Folha e casca do caule:
Esteróides, flavonóides, catequinas, fenóis, taninos, gomas, resinas, material corante, saponinas Pseudofruto (a conhecida fruta caju): taninos, vitamina C (210mg para 100g de fruto), açúcares, carotenóides, ácidos orgânicos, proteínas, fibras, água
*Fruto (castanha)
A castanha possui a casca, tegumento e amêndoa:
*Casca:
Acido anacárdico, anacardol, cardol, taninos, flavonóides, ácido gálico, ácido siríngico, galocatequina
*Tegumento (a película que envolve a amêndoa):
beta-sitosterol, epicatequina (substância com forte ação antiinflamatória)
*Amêndoa (semente):
óleo fixo de alta qualidade (45%), proteínas, minerais, esteróides, triterpenóides, tocoferóis
COMPOSIÇÃO

Quantidade por Porção............................................. % VD (*)
Valor Energético................. 24,8 Kcal = 104,1 ..............1
Carboidratos.............................. 5,6 g .............................2
Proteínas.................................... 0,5 g............................. 1
Gorduras Totais........................ 0,0 g............................. 0
Gorduras Satur......................... 0,0 g............................. 0
Gorduras Trans......................... 0,0 g............................ 0
Fibra Alimentar......................... 0,0 g............................ 0
Cálcio.......................................... 33,5 mg........................ 3
Ferro............................................ 0,7 mg .........................5
Sódio............................................. nd................................ 0
Fósforo....................................... 12,1 mg......................... 2
Vitamina A................................. 83,08 g....................... 14
Vitamina B1................................. 0,0067 mg................. 1
Vitamina B2................................. 0,0335 mg................. 3
Niacina.......................................... 0,335 mg................... 2
Vitamina C................................ 176,21 mg ..................392
Valores Diários com base em uma dieta de 2.500 Kcal ou 8.400 Kj seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.
*ND = Não Disponivel
Fonte: www.polifruta.com.br
INDICAÇÕES E MODO DE USAR
1.Nutrição: O suco feito de seu pedúnculo ou pseudo-fruto, puro e adoçado (a cajuada), é um saudável tônico refrigerante. Rico em vitamina C e A, além de vitaminas B e sais minerais, A semente torrada pode ser consumida 1 hora antes das principais refeições em pequenas quantidades
2.Diurético
O suco é diurético e excitante.
3.Baixar o colesterol e triglicerídeos do sangue
Consumir em pequenas doses (5 a 6 amêndoas) diárias
4 Diabetes, Eczema, Icterícia, Psoríase, Reumatismo, Griipes, Catarros crônicos e Avitaminose C (“Cura de Caju”)
Recomenda-se a "cura de caju": Permanecer dois ou três dias por semana em completo repouso, alimentando-se exclusivamente de cajus maduros. Para evitar o fastio, podem-se fazer refeições de maçãs e laranjas, mas usar uma fruta em cada refeição; jamais misturá-las durante as "curas de frutas".
Pode ser usado também em forma de suco :1 copo de 3 a 5 vezes ao dia. Os índios TICUNA da Amazônia usam o suco de seu pseudo-fruto como preventivo contra gripes.
5.Anti-séptico e Antiinflamatório bucal
Para uso externo o uso do cozimento da entrecasca, em bochechos e gargarejos, como anti-séptico antiinflamatório nos casos de feridas e úlcera da boca e afecções da garganta, bem como para lavagem de feridas
6.Aftas
O sumo das folhas novas é utilizado para combater aftas.
7.Diarréias, disenterias
Coloque 3 colheres (sopa) de folhas novas e frescas, cortadas em pedaços bem pequenos em 1/2 litro de água em fervura. Deixe ferver por 10 minutos e coe. Tome 1 copo toda vez que for evacuar. No caso de crianças deve ser dada metade da dose.
8.Verrugas, calosidades
Uso externo sob a forma de óleo(obtido das castanhas), aplicado diariamente, na forma de cataplasma, várias vezes ao dia.
9.Hemorroidas
Nas regiões de mata brasileira as cascas são usadas para hemorróidas. Fazem o chá com a casca, adicionando broto de goiaba, raspa de amor-crescido e cajá
10.Ativa o metabolismo do açucar
O uso da casca do cajueiro na forma de chá, ativa o metabolismo dos açúcares, principalmente das pessoas que têm o açúcar aumentado no sangue e na urina.
11.Frieiras, cansaço dos pés e feridas
Coloque 1 colher (chá) de casca do caule em 1 litro de água em fervura. Deixe ferver por 15 minutos e coe em uma peneira. Despeje em uma bacia e acrescente mais 2 litros de água quente. Mergulhe o local afetado (pés ou mãos), por 10 a 15 minutos. Repetir a aplicação até a melhora.
12.Inibidores enzimáticos.
As propriedades biológicas dos ácidos anacárdicos têm merecido atenção especial nos últimos anos, por se apresentarem como inibidores de enzimas medicinalmente importantes, além de compreenderem propriedades antimicrobianas, anticoagulante e antitumor.
13.Cauterizante
A casca da castanha de caju encerra um óleo de cheiro forte, acre e cáustico, conhecido como cardol ou resina de caju, da qual se extrai o ácido anacárdico.
O óleo de caju tem servido para cauterizar excrecências, avivar dartos, modificar úlceras, acalmar a dor de dente e, no tratamento da lepra, foi usado como cáustico para os lepromas.
FORMAS DE PREPARO
Chá da casca
Coloque 1 colher (chá) do pó da casca do caule do caju vermelho em 1 xícara (chá) de água em fervura. Desligue o fogo, espere esfriar e coe em uma peneira. Tome 1 xícara (chá) 2 vezes ao dia. Feridas, infecção da garganta

Decocção
Coloque 1 colher (sopa) do pó da casca do caule em 1 copo de água em fervura. Desligue o fogo, deixe em repouso por 24 horas e coe em uma peneira. Use para fazer bochechos, gargarejos ou para lavar feridas infeccionadas.
CUIDADOS
*A castanha contém um óleo-resina cáustica, conhecido como LCC (líquido da castanha de caju). A composição do LCC é principalmente de ácido anacárdico, cardol (11,31%) e seus derivados. Dentro da castanha é que se encontra a amêndoa oleaginosa, comestível, conhecida e comercializada como castanha de caju.

*O LCC causa forte irritação na pele, deixando cicatrizes quase indeléveis que jovens usam para fazer um tipo primitivo de tatuagem. O LCC espesso é de cor escura, tem uso popular para verrugas, calos, edemas, manchas na pele e tecidos de neoformação.
O uso em estado fresco do fruto (castanha) pode provocar lesões na pele, pois é terrivelmente cáustico. Quando as sementes são torradas perdem esta propriedade, tornado-se assim comestíveis
A casca da castanha é alveolada e possui óleo cáustico e viscoso.
OUTROS USOS
-Do sumo ainda se obtém vinho, vinagre, aguardente e licor.
-A goma purificada é usada pela indústria farmacêutica como agregante em comprimidos no lugar da goma-arábica produzida na África.
-O líquido da casca da castanha de caju (LCC) é muito empregado na indústria química para a produção de polímeros que são utilizados na produção de matérias plásticas, isolantes e vernizes. Este óleo é constituído principalmente por compostos fenólicos, como os ácidos anacárdicos
Fontes: mecol.com.br, Wikipédia, polifruta.com.br, ciagri.usp.br, portalsaofrancisco.com.br, portalnatural.com.br

Um comentário:

  1. Parabéns pelo site, muito rico, aprofundado e de fácil visualização. Meu filho manchou seu rosto com o LCC da castanha do caju, existe algo que retire ou amenize a mancha?
    Se possível, me envie por e-mail: tati.rabello@ig.com.br
    Obrigada!

    ResponderExcluir