PLANTAS MEDICINAIS

As plantas consideradas medicinais, contém substâncias bio-ativas com propriedade terapêuticas, profilática e paliativa, conhecidas desde os tempos remotos. Essas plantas são utilizadas pela medicina atual, chamada fitoterápia e suas propriedades são estudadas nos laboratórios farmacêuticos, a fim de isolar as substâncias que lhe conferem propriedades curativas. Muitas destas plantas são venenosas ou tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Toda a planta, mesmo alimentícia, pode ser potencialmente tóxica dependendo da dosagem.

PASSE O CURSOR SOBRE A FOTO PARA LER (NÃO CLIQUE)

TEMÁTICA

As plantas medicinais são utilizadas pela medicina atual (fitoterapia). Entretanto, a planta “in natura” ou pré porcessada utilizada pela população sem recomendação médica é uma prática denominada “Medicina Popular” e obviamente tem seus riscos, como a dificuldade em se estabelecer dose, posologia e, em alguns casos, a verdadeira identidade de algumas espécies.

Desta forma, este espaço apresenta o uso das plantas medicinais como alternativa terapêutica e para tanto, deve ser acompanhada por um profissional da saúde.



LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico, apenas informativa. Consulte sempre um profissional da saúde para qualquer tipo de informação.

8 de ago de 2009

UVA -Vitis vinifera L - Propriedades Medicinais - 23






Flor

Fruto


Folha de uva
UVA
FAMÍLIA: Vitaceae (Ampelidaceae)
NOME CIENTÍFICO: Vitis vinifera L.
NOME POPULAR
Uva, parreira, videira. Grape (inglês); Vid (espanhol);, Vigne (francês); Traube (alemão);
PARTE USADA
Sementes (óleo), folhas e frutos maduros na forma de sucos.
PRINCÍPIO ATIVO
Flavonóides (4-5 %), taninos, ácidos (tartárico, málico, succínico, cítrico, oxálico), resveratrol.
PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS
Anticarcinogênica, antitumoral, antioxidante, hepatoprotetora, vasoprotetora.
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS
Diminuir a quantidade de radicais livres de oxigênio. O resveratrol encontrado na casca da uva vermelha é vasodilatadora e aumenta o HDL (bom) e diminui o LDL (ruim)
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
A videira, da família Vitaceae, é uma planta trepadeira lenhosa, a vinha chega a 30 cm de altura com gavinhas de fixação. O caule jovem é de cor verde, tornando-se escuro posteriormente. As folhas são grandes, verdes, alternantes, palminérvias geralmente com três a cinco lobos. Superfície superior glabra (sem pelos) e inferior lanada. Flores pequenas reunidas em panículas. (Gruenwald, 2000).
Atinge até 7 metros de comprimento. Frutifica a partir do 3º ano após o plantio, nos meses de novembro a março na região sul e o ano todo na região nordeste. As videiras compreendem inúmeras espécies e seus híbridos (cruzamentos). Comercialmente são classificadas basicamente em dois grupos: as finas (cultivares de Vitis vinifera L.) e as rústicas (cultivares Americanas – V. labrusca e V. bourguina – e híbridos). Outras espécies são utilizadas na fabricação de doces, sucos e vinhos, mas em menor escala (V. riparia, V. rotundifolia e V. aestivalis).
A uva é um fruto tipo baga, de formato oblongo a globular, tamanho de 6 a 22 mm de comprimento, cor violeta-escuro, vermelho, verde ou amarelo.e consistência e aroma variáveis. A polpa comestível, de sabor doce, ácido, amargo ou adstringente, contém até quatro sementes. É uma fruta do tipo não-climatérico, ou seja, não amadurece após a colheita, devendo ser colhida no ponto ideal de maturação. As sementes têm formato de pêra
Parreira
Entre as espécies de videiras podemos referir:
• Vitis vinifera, o tipo de videria mais frequente na produção do vinho, na Europa
• Vitis labrusca, espécie norte-americana, utilizada na produção de sumo, uva de mesa e, algumas vezes, vinho
• Vitis riparia, tipo de videira bravio norte-americano, usado, às vezes, para produzir vinho
• Vitis rotundifolia, uva muscadínea, usada para doces e, por vezes, vinho
• Vitis aestivalis, em que a variedade Norton é usada para fabricar vinho.
ORIGEM
Típica do sul da Europa a oeste da Ásia e cultivada em todas as regiões temperadas do mundo.
COMPOSIÇÃO
Valor Nutritivo de 100 gramas de

ITALIA

Nutriente
Unidades
Valor por 100 gramas de
porção comestível(*)
Macro Componentes
Água
g
81,3
Energia
kcal
67
Energia
kj
280
Proteína
g
0,63
Lipídeos (total)
g
0,35
Carboidratos por diferença
g
17,15
Fibra dietética (total)
g
1
Cinzas
g
0,57
Minerais
Cálcio, Ca
mg
14
Ferro, Fe
mg
0,29
Magnésio, Mg
mg
5
Fósforo, P
mg
10
Potássio, K
mg
191
Sódio, Na
mg
2
Zinco, Zn
mg
0,04
Cobre, Cu
mg
0,04
Manganês, Mn
mg
0,71
Selênio, Se
mcg
0,2
Vitaminas
Vitamina C, Ácido Ascórbico
mg
4
Tiamina (B-1)
mg
0,09
Riboflavina (B-2)
mg
0,05
Niacina
mg
0,3
Ácido Pantotênico (B-5)
mg
0,02
Vitamina B-6
mg
0,11
Folato (B-9)
mcg
3,9
Vitamina (B-12)
mcg
0
Vitamina A, IU
IU
100
Vitamina A, RE
mcg_RE
10
Vitamina E
mg_ATE
0,34
USDA Nutrient Database for Standard Reference, Release 13 (November 1999)

VARIEDADES DE UVAS
CHARDONNAY

A uva Chardonnay é originária da França, das regiões de Borgonha e Champagne, É conhecida como a rainha das uvas brancas. Seu vinho apresenta características muito distintas, de aroma frutado lembrando maçã verde e abacaxi. Como é a mais fina de todas as viníferas, esta variedade gera grandes vinhos na região de Champagne, Bourgogne e Chablis, e é largamente utilizada para a elaboração do vinho espumante.
Das viníferas brancas, é uma das que melhor e mais rápido se adaptaram no Brasil, primeiro no Vale Aurora e depois em outras regiões. O Vinho Chardonnay normalmente é um vinho pleno, vigoroso, com aroma e paladar característicos, seco e ao mesmo tempo delicado e sutil. Sua cor é amarelo palha e com alguns meses de garrafa, pode chegar ao amarelo ouro. Muitos enófilos consideram o Chardonnay como o mais completo vinho branco elaborado no Brasil.
GEWURZTRAMINER

De origem franco-alemã, a Gewürztraminer tem seu berço na divisa da Alemanha com a França, na região da Alsácia. Esta variedade é um selecionado do Traminer aromático do Tirol do Sul. De cachos pequenos e cônicos e bagas de uma cor rosada realmente incrível.
As uvas aqui produzidas são de excelente qualidade, embora com média produtividade, sendo porém muito sensíveis a condições climáticas adversas.
O vinho Gewürztraminer, muito original e sedutor, com freqüência atinge a excelência. Seu olfato e paladar são extremamente aromáticos e com extraordinária riqueza, mesclando flores como rosa e jasmim com frutas como lichía. É suave ao olfato e seco ao paladar, o que lhe confere especial característica.
RIESLING ITÁLICO

Cepa originária da Europa Centro-oriental, selecionada do nordeste da Itália. Pode-se dizer categoricamente que entre as viníferas nobres foi a que melhor se adaptou no Brasil, sendo considerada a variedade branca emblemática da Serra Gaúcha.

O vinho Riesling Itálico normalmente é vinho delicado, sutil, seco, de coloração amarelo-esverdeada, com aromas de frutas cítricas e acidez pronunciada.
No Brasil são elaborados espumantes de excelente qualidade com esta variedade.
SAUVIGNON BLANC

Nas regiões de Bordeux, Sauternes, e no Vale de Loire, na Califórnia, no Chile, na Alemanha, na África do Sul, esta importante vinífera se adaptou bem e tem produzido com qualidade e em boa quantidade.
Na Serra Gaúcha teve boa adaptação, porém é muito sensível a condições climáticas adversas.
Quando atinge suas melhores condições, o vinho produzido por esta variedade tem notas marcantes de frutas tropicais como goiaba e maracujá com leve acento herbáceo que lhe confere muita tipicidade.
TREBIANO
De origem provável do Vale de Trebbia, na região da Emilia-Romagna, Itália. Variedade trazida para o Brasil já há bastante tempo e que tem se adaptado perfeitamente nas principais regiões produtoras.
De cacho grande de coloração amarelo-esverdeada e de excelente produção. Seus vinhos são largamente utilizados para a elaboração dos destilados como o Brandy.
Também serve de base para espumantes, em combinação com outros varietais.
MOSCATO BRANCO


Sua origem provém da Bacia do Mediterrâneo, Magna Grécia. Cepa implantada no Brasil já há bastante tempo.
Seus cachos são generosos, bem compactos e densos, seus grãos são grandes e de cor amarelo-esverdeados. Sua maturação é tardia proporcionando vinhos bem aromáticos que podem ser utilizados em cortes.
Porém, sua principal utilização é para elaboração de vinho Moscatel Espumante, o qual tem apresentado qualidade destacada, pelo seu aroma fresco e frutado com notas florais e pelo paladar que combina a equilibrada ação dos açúcares com acidez.
CABERNET SAUVIGNON
Cabernet Sauvignon é considerada a rainha das uvas tintas de todas as partes do mundo. A origem da cepa Cabernet Sauvignon remonta a época da dominação romana, na região de Bourdeaux, então Sul da Gália. Variedade típica de Bordeaux, especialmente das regiões do Médoc e de Graves.Adaptou-se em diversos terrenos e climas do mundo.
Seus vinhos apresentam boa concentração de cor, aromas intensos que remetem ao herbáceo, pimentão verde e frutas vermelhas.
O Cabernet Sauvignon é um vinho com forte acento de tanino, um pouco duro enquanto jovem, com o tempo, adquire corpo e um fino e delicado bouquet, tornando-se aveludado.
MERLOT
A uva Merlot é uma variedade proveniente de Bordeaux França, sobretudo de Saint Emillion e Pomerol.
Variedade produtora de apreciável vinho tinto, adaptou-se perfeitamente na Serra Gaúcha, onde destaca-se entre as variedades tintas finas, sendo a mais produzida.
O vinho Merlot tem belíssima cor rubi, é tenro, frutado, complexo, aveludado.
Pode ser consumido jovem, porém ganha com o envelhecimento, tornando-se cada vez mais aveludado.
PINOT NOIR
É uma vinífera da Bourgogne e de Champagne. Seus frutos são pequenos de suco generoso e com pele de coloração azul escuro que tinge o mosto de rubi violeta, durante a fermentação.
Produz vinhos tintos generosos, de pouca intensidade de cor, apresentando-se com cor violácea, aromas frescos e frutados lembrando framboesas e flores do campo, paladar macio, harmônico e muito elegante. É um vinho para ser consumido jovem.
TANNAT
Cepa originária de Pirineus Orientais (França), tem-se adaptado espetacularmente no Uruguai, sendo que, sua adaptação e difusão na Região da Serra Gaúcha está ocorrendo da mesma forma.
Seu vinho é largamente utilizado para cortes pois tem grande carga de taninos, aporta cor e melhora o extrato seco dos vinhos. Vinho de longo envelhecimento, sendo muito duro se for consumido jovem, principalmente pela grande quantidade de tanino e a alta intensidade e tonalidade de cor.
PINOTAGE
Cultivar originária da África do Sul, tendo sido desenvolvida através do cruzamento entre a Pinot Noir e Cinsault.
Seus frutos apresentam-se em cachos bem compactos com as bagas ligeiramente alongadas.
Seus vinhos são de média coloração com uma carga tânica e acidez orgânica não muito pronunciada, aromas frutados lembrando jabuticaba com notas sutis de café.
Fonte: www.vinicolaaurora.com.br
INDICAÇÕES E MODO DE USAR

1-Atividade antioxidante: a proantocianidina presente nos extratos de semente de uva diminuem a quantidade de radicais livres de oxigênio.
Em um estudo, o efeito antioxidante da proantocianidina foi mais potente, comparativamente, que o efeito da vitamina C e da vitamina E succinato (Bagchi, 1997 citado em Gruenwald, 2000). O componente também inibe a peroxidação dos lipossomas de fosfatidilcolina (Plumb, 1998 citado em Gruenwald, 2000).
A atividade antioxidante tem sido demonstrada em vários trabalhos através da inibição da peroxidação lipídica pelo extrato de sementes de uva. Topicamente, as procianidinas previnem a degradação de componentes estruturais de matrizes extravasculares , como colágeno, elastina e ácido hialurônico. No endotélio, a limpeza de radicais livres e os efeitos antiperoxidativos das procianidinas têm contribuído na manutenção da integridade estrutural por inibir as proteases como colagenase, elastase, hialuronidase e beta-glucuronidase (Foster, 1992).
2.Aumenta o HDL e diminui o LDL pela ação do resveratrol, presente na casca de uvas vermelhas.
3.Vasidilatadora (ação do resveratrol)
4.Prenine danos às artérias e inibe coágulo, infartos e derrames (ação do álcool)
5.Polifenois é um antiinflamatório natural das artérias.
USO E INDICAÇÃO
NA FORMA DE VINHO
*Uma taça de vinho por dia, de três a quatro vezes por semana.
*Cuidados: O consumo excessivo neutraliza os seus benefícios e causa outros problemas.
NA FORMA DE SUCO
*Um copo de 200 ml por dia, sem adição de açúcar
*Observação: É uma opção para quem não quer ou não pode ingerir álcool. Quem toma vinho não precisa beber suco.

Formatação e pesquisa: Helio Rubiales
Fontes:
Débora Gikovate, Bióloga, Especialista em Plantas Medicinais-São Paulo, SP
USDA Nutrient Database for Standard Reference, Release 13 (November 1999
Portalsaofrancisco.com.br
www.vinicolaaurora.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário