PLANTAS MEDICINAIS

As plantas consideradas medicinais, contém substâncias bio-ativas com propriedade terapêuticas, profilática e paliativa, conhecidas desde os tempos remotos. Essas plantas são utilizadas pela medicina atual, chamada fitoterápia e suas propriedades são estudadas nos laboratórios farmacêuticos, a fim de isolar as substâncias que lhe conferem propriedades curativas. Muitas destas plantas são venenosas ou tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Toda a planta, mesmo alimentícia, pode ser potencialmente tóxica dependendo da dosagem.

PASSE O CURSOR SOBRE A FOTO PARA LER (NÃO CLIQUE)

TEMÁTICA

As plantas medicinais são utilizadas pela medicina atual (fitoterapia). Entretanto, a planta “in natura” ou pré porcessada utilizada pela população sem recomendação médica é uma prática denominada “Medicina Popular” e obviamente tem seus riscos, como a dificuldade em se estabelecer dose, posologia e, em alguns casos, a verdadeira identidade de algumas espécies.

Desta forma, este espaço apresenta o uso das plantas medicinais como alternativa terapêutica e para tanto, deve ser acompanhada por um profissional da saúde.



LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico, apenas informativa. Consulte sempre um profissional da saúde para qualquer tipo de informação.

15 de ago de 2009

PÊSSEGO - Prunus persica - Propriedades Medicinais -26






Flor

Flor

Fruto



Fruto e folhagem


Pessegueiro
PÊSSEGO
FAMÍLIA: Rosaceae
NOME CIENTÍFICO: Prunus persica
NOME POPULAR: Pêssego
PARTE USADA:Folhas, flores, caroço e frutos
PRINCÍPIO ATIVO: Betacaroteno, Vitamina C e ferro
PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS
Enfermidades dos pulmões, nas afecções do fígado, na prisão de ventre, nas úlceras cancerosas, herpes, dores reumáticas, hipertensão arterial, anemia, como colagogo, diurético , depurativo sanguíneo e desintoxicante.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
Da família botânica das Rosaceae, é uma espécie arbórea de clima temperado, que pode atingir até 8 metros de altura, de folhas alternas e serreadas, flores roxas e drupas pubescentes,
CICLO DO PÊSSEGO
1.A formação do broto em uma haste
2.Diferenciação , aparecimento dos botões e florais
3.As flores abertas são polinizadas por pólen vindos com o vento e por insetos
4.Formação do fruto. A folhagem é totalmente desenvolvido e permite a fotossíntese .
5.Frutas crescimento rápido (t + 5,5 meses, final da primavera).
6.O fruto amadurece, tornando-se comestíveis, assim, espalhando a semente para fora.
ORIGEM: China

INDICAÇÃO E MODO DE USAR
1. O pêssego é fonte razoável de pró-vitamina A e ferro. Para podermos aproveitar ao máximo as suas qualidades medicinais e nutritivas, devemos comê-lo ao natural.
2. Diabete melito: Recomenda-se a inclusão do pêssego na dieta. As proporções devem ser calculadas por um nutricionista
3. Tosse: Misturar mais colher de café da goma que sai do pessegueiro no verão com uma xícara de leite quente. Emprega-se somente meia colher das de café de goma em uma xícara de leite quente. Tomar aos goles.
4. Erupções cutaneas: Cataplasmas locais, com folhas frescas e amassadas, ou as folhas seca e moídas, têm aplicação externa nas chagas gangrenosas e em toda espécie de erupções cutâneas
5.Hemorragias: O caroço moído, misturado com uma gema de ovo, aplicado topicamente é eficaz para estancar hemorragias provocadas por ferimentos.
6.Diurético, laxante, vermífugo e coqueluche: As flores em infusão, com água ou leite, ou preparadas em forma de xarope
7. Hipertensão arterial: Fazer refeições exclusivas de pêssego.
8. Constipação intestinal: Fazer, em jejum, uma refeição só de pêssego.
9. Erupções cutâneas em geral: Cataplasmas locais das folhas frescas amassadas; ou, do decoto concentrado das folhas secas moídas.
10. Dores em geral: Aplicar no local cataplasmas das folhas trituradas.
11.Depurativo, Diurético, doenças hepáticas,tuberculose, reumatismo: Recomenda-se incluir o pêssego na dieta ou infusão de flores.
12.macerado do caroço triturado regulariza o fluxo menstrual.
PRECAUÇÕES
*Afirma-se que tanto as folhas do pessegueiro como a amêndoa contida no caroço do pêssego, são tóxicas.
*O pêssego só deve ser colhido maduro e consumido logo depois de apanhado.
* Ingerido em excesso ou quando não bem maduro, o pêssego torna-se indigesto, especialmente para os estômagos delicados.
*Devemos evitar comer pêssego como sobremesa, especialmente após uma refeição em que tenha havido uma mistura de pratos.
*O pêssego é muito bom para a confecção de conservas, doces e compotas.
Fonte:
Wikipédia
docemel.com.br
psleo.com.br
portalsaofrancisco.com.br
portalnatural.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário