PLANTAS MEDICINAIS

As plantas consideradas medicinais, contém substâncias bio-ativas com propriedade terapêuticas, profilática e paliativa, conhecidas desde os tempos remotos. Essas plantas são utilizadas pela medicina atual, chamada fitoterápia e suas propriedades são estudadas nos laboratórios farmacêuticos, a fim de isolar as substâncias que lhe conferem propriedades curativas. Muitas destas plantas são venenosas ou tóxicas, devendo ser usadas em doses muito pequenas para terem o efeito desejado. Toda a planta, mesmo alimentícia, pode ser potencialmente tóxica dependendo da dosagem.

PASSE O CURSOR SOBRE A FOTO PARA LER (NÃO CLIQUE)

TEMÁTICA

As plantas medicinais são utilizadas pela medicina atual (fitoterapia). Entretanto, a planta “in natura” ou pré porcessada utilizada pela população sem recomendação médica é uma prática denominada “Medicina Popular” e obviamente tem seus riscos, como a dificuldade em se estabelecer dose, posologia e, em alguns casos, a verdadeira identidade de algumas espécies.

Desta forma, este espaço apresenta o uso das plantas medicinais como alternativa terapêutica e para tanto, deve ser acompanhada por um profissional da saúde.



LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico, apenas informativa. Consulte sempre um profissional da saúde para qualquer tipo de informação.

9 de nov de 2009

TUCUMÃ - Astrocaryum aculeatum - Propriedades Medicinais - 66






TUCUMÃ
FAMÍLIA: Arecáceas (sinonímia: Palmas)
NOME CIENTÍFICO: Astrocaryum aculeatum
(sinonímia: Astrocaryum macrocarpum, A. tucumã)
NOME POPULAR
Tucumã, tucumã-do-amazonas. Acaiúra, acuiuru, coqueiro-tucumã, tucum, tucumã-açu, tucumã-arara, tucum-açu, tucumaí-da-terra-firme, tucumãí-uaçu, tucumã-piririca, tucumã-purupuru e tucum-do-mato.
PARTE USADA: Fruto
PRINCÍPIO ATIVO
Vitamina A
PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS
Nutricional
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
Trata-se de uma palmeira amazônica, perene, de ocorrência natural nos estados do Amazonas, Pará, Acre, Rondônia e Mato Grosso. Ela atinge até 20 metros de altura e 30 centímetros de diâmetro do seu tronco (estipe). Em toda a sua parte aérea, principalmente onde estão as folhas, contém grande quantidade de espinhos negros e longos.
As folhas são longas, semelhantes as do coqueiro, e chegam a 5 metros de comprimento.
As flores são produzidas em inflorescências (cachos), eretas, longas e o pedicelo (porção que interliga o cacho ao tronco) é longo, podendo chegar 2 metros de comprimento. As inflorescências são emitidas entre as folhas (interfoliares).
Os frutos são globosos a alongados com 3,5 a 4,5 centímetros de diâmetro e contêm um bico na extremidade apical. A casca dos frutos é lisa, dura e de coloração verde-amarelada, enquanto que a polpa (mesocarpo) é carnosa, fibrosa, oleosa, cor amarelada ou alaranjada, rica em vitamina A e sabor levemente adocicado. O centro do fruto é ocupado por um caroço duro, preto, que é a semente. As condições favoráveis ao seu desenvolvimento são: terra firme, não sujeita a inundação, pouco exigente em fertilidade do solo, pois ocorre normalmente em ambiente degradado com vegetação secundária e clima quente. A propagação é feita por sementes
ORIGEM: Amazônia
COMPOSIÇÃO
• 100 gramas de polpa equivalem a 52.000 unidades de vitamina A ou a dez frutas cítricas, vitamina C
• 247 calorias
MODO DE USAR
Os frutos são comestíveis ao natural e muito apreciados na região de sua ocorrência. São consumidos também na forma de sorvetes, sucos, licores e doces.
Fontes:
globoruraltv.globo.com mm
horti.com.br
pt.eikipedia.org
portalsaofrancisco.com.br
Formatação e pesquisa:HRubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário